Postagens populares

sábado, 29 de junho de 2013

Ganhando o coração de um homem com uma caneta


Um dia, o atraente soldado John Blanchard foi à biblioteca para ler um livro. (Sei que esse tipo de passatempo pode parecer bem sem graça. mas. provavelmente, ele devia estar sentindo muita saudade do seu lar e não sabia o que fazer. Mas isso o levou a algo bem mais interessante.) John ficou impressionado ao ler umas ano­tações feitas nas margens de um livro que folheava:
- Nossa, gostaria de conhecer a pessoa que escreveu essas palavras. Elas são tão profundas e inspirativas!

Descobriu um nome na capa do livro: Harlyss Maynell. Nova Iorque. (É. sei que ela tem um nome bem esquisito, mas guarde este nome: Harlyss Maynell é uma personagem muito importante nesta história.) De alguma forma. John tinha certeza de que havia sido ela quem escrevera nas margens do livro. Então, ele fez algo ainda mais doido e impulsivo, o tipo de coisa que acaba naquelas listas dos "dez mais" que dizem que você está solitário quando vai até a biblioteca, encontra um nome na capa de um livro e telefona para a pessoa, convidando-a para sair. Bem. está bem, John não convidou Harlyss para sair. mas ele ligou para ela! Procurou o seu nome na lista telefônica de Nova Iorque e perguntou-lhe se poderi­am começar a se corresponder. (Isso foi antes de existir o e-mail.)

Aquela atitude foi bem audaciosa. O cara nem conhecia Harlyss! Ela poderia ser uma traficante, integrante da máfia ou uma assassina! Mas ele estava disposto a ir fundo naquilo. Que será que ela havia escrito nas margens do livro? Aquelas palavras deviam ser bem inspirativas. Não é? Talvez John precisasse desesperadamente de um amigo.

Mas voltemos a Harlyss Maynell. Ao que parece, ela devia ser uma pessoa formidável. E deve ter tido uma queda por John pois concordou em corresponder-se com ele, mesmo sabendo que ele estava indo para a guerra, na Europa. Começaram a se corresponder, e logo John ficou apaixonado por Harlyss.... Mesmo nunca a tendo conhecido! Ele conhecia apenas o que ela havia escrito nas cartas e nas margens do livro. Entretanto, estava apaixonado! (Garotas, será que vocês não gostariam de ter umas aulinhas de redação com Harlyss? Imaginem, ganhar o coração de um homem com uma caneta! Vocês nem teriam de usar mais o recurso da maquiagem! Brincadeirinha!)

Acho que John deve ter começado a ficar bem inquieto por não saber como Harlyss era fisicamente, pois, um dia John escre­veu a Harlyss pedindo-lhe uma foto. Mas ela respondeu de forma bem categórica: "Não, não enviarei uma foto minha, porque os re­lacionamentos não devem ser baseados apenas nas aparências." (Oh. rapazes, vocês considerariam isso um sinal de que talvez Harlyss não seja a pessoa mais bonita deste mundo? Claro que a garota poderia escrever bem, mas o que será que havia de errado com a sua aparência para ela não mandar uma foto?)
Muitos caras talvez tivessem desistido bem aí. Mas não foi o que John fez. Como eu disse, as cartas e as anotações dela eram maravilhosas. Por isso John deve ter pensado que ela era apenas uma mulher geniosa. Continuou a ficar cada vez mais apaixonado por ela, mesmo sem nenhuma foto dela para colocar debaixo do travesseiro. Imagine amar alguém que você nunca viu, mas por quem está profundamente apaixonado!
Finalmente surgiu uma oportunidade para John conhecer pessoalmente Harlyss. Ele estava voltando para os Estados Unidos e escreveu a Harlyss propondo-lhe um encontro em algum lugar onde pudessem jantar. Ela respondeu-lhe que o encontraria na Estação Central de Nova Iorque, bem embaixo do grande relógio. Harlyss disse a John que ele a reconheceria pelo fato de que ela estaria com uma rosa vermelha na lapela.
Então, o dia chegou, e John ficou debaixo do grande reló­gio esperando, esperando. Ele estava um pouquinho nervoso. Afi­nal de contas, aquele não era um primeiro encontro casual. Quero dizer, como você se sentiria se estivesse apaixonado pela letra de alguém e tivesse de conhecer não apenas a mão, mas também os olhos e o rosto dessa pessoa? E o lance da fotografia? Será que ela estava escondendo alguma coisa? Todas aquelas perguntas inun­davam a sua mente alguns segundos antes de ele descobrir a verda­de.
Uma linda mulher, com um sorriso provocante, começou a andar em sua direção, fazendo com que ele a seguisse com o olhar. Por um breve momento, John pensou estar olhando para Harlyss. Ele nem podia acreditar na sua própria sorte! Ela não era apenas uma grande e talentosa escritora, ela era maravilhosa! Mas, aí, ele percebeu que ela não tinha uma rosa na lapela. E o seu coração se apertou em desgosto, enquanto ela passava por ele.
De repente, viu uma mulher que tinha uma rosa vermelha na lapela. Ela estava em sua frente, sorrindo para ele. Ele quase desmaiou em desespero. Ela era uma senhora simples, baixinha e gordinha, mais velha que a própria mãe de John, de cabelos bran­cos caindo por debaixo de um chapéu surrado. Seus olhos brilha­ram quando olhou para ele. Ele olhou novamente para a jovem e linda mulher que desaparecia entre a multidão e sentiu-se dividido. (Sei que esta narração deve estar um pouco incompleta. Quero dizer, rapazes, o que vocês fariam numa situação dessas? Um ra­paz conhecido meu disse que, se fosse John Blanchard, teria volta­do correndo para a guerra e feito de tudo para levar um tiro!)
Mas John Blanchard foi um herói. Fico contente, porque estou começando a gostar dele. Ele não fugiu, ou passou despercebido, ou agiu rudemente. Na verdade, ele percebeu que, mesmo não podendo construir um relacionamento romântico com Harlyss, ele poderia mostrar gratidão àquela mulher que havia sido uma verdadeira amiga por meio de suas cartas. Então, ele sorriu (o mais que pôde) e disse àquela senhora gordinha:
- Oi, a senhora deve ser Harlyss Maynell. Muito obrigado por ter vindo se encontrar comigo. Será que poderemos jantar jun­tos? (Agora sim, isso foi uma atitude nobre! Quantos caras que vocês conhecem teriam feito o mesmo?)
A senhora ficou surpresa e disse:
- Filho, não sei exatamente o que é que está acontecendo, mas sabe aquela jovem que passou por você agora mesmo? Ela me pediu para usar esta rosa e me disse que, se você me convidasse para jantar, ela o estaria esperando no grande restaurante do outro lado da rua. Ela me disse que era um tipo de teste.
Nossa! Será que as suas emoções podem agüentar uma história dessas? No momento em que você estava ficando frustra­do, Harlyss Maynell vira o jogo e mostra ser talentosa, bonita e inacreditavelmente inteligente. Ela sabia que não desejava entrar em um relacionamento com um rapaz sem caráter. Ela sabia que um homem com caráter daria mais valor ao interior de uma pessoa do que ao exterior. Que forma de descobrir o caráter de um homem!

Garotas, antes de se apaixonarem por qualquer um, façam o teste. Vocês não querem passar o resto de suas vidas com um "banana". John Blanchard provou ser digno de toda a atenção e tempo de Harlyss. Não se contentem com homem nenhum que não seja digno de seu tempo e atenção. Mantenham seus padrões ele­vados!

*Versão Ludy da história de Max Lucado, contada em seu livro, The Angels Were Silent. É uma história verídica, com a qual todos nós podemos aprender alguma coisa. A heroína da história SABIA o que ela devia esperar em um homem - um verdadeiro caráter divino - e estava determinada a não se apaixonar por qualquer um.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Estude: seu futuro depende disso

Olá pessoas [:
Acredito que nunca falei diretamente sobre isso em algum post. Sempre procuro falar espiritualmente, lidando com o emocional, comportamental, sentimental e tal, mas eis aqui uma palavra super importante que faz diferença na vida de qualquer um "Estudo". 

Ultimamente, estou até um pouco longe da internet, pois comecei a estudar pela noite, fazendo pré-vestibular, vou começar a fazer curso pela manhã, além do curso aos sábados e atividades diárias (orem por mim).

Mas, a hora é essa, o caminho é esse. Precisamos nos esforçar para merecer tudo aquilo que cremos que o Senhor tem guardado para nós, precisamos de verdade QUERER. Não é fácil, cada um tem sua deficiência. Pode parecer ser incrível ter o privilégio de ter pais que baquem você do jardim 1 até o bacharelado, com toda facilidade; e assustador ter que se esforçar para estudar a seu próprio custo e busca. Mas, não escolhemos a vida que vamos ter e sim escolhemos a pessoa que vamos ser. 

Melhor que a força é a sabedoria; melhor que dar golpes para alcançar um bom padrão de vida é conseguir pelos seus esforços com bênção de Deus. 

Estude! Seu futuro depende disso hoje para existir amanhã. 

Procure explicar as suas dúvidas, busque fazer aquilo que gosta e que compensa, peça ao Senhor oportunidades, seja bom naquilo que faz.

Afinal, a vida em si é um estudo. Um estudo com incógnitas, disciplinas, professor (o Espírito Santo é o melhor), desafios, problemas, verdades e a cada fase, a vida mostra como vale a pena Viver. 

domingo, 9 de junho de 2013

Fiz um acordo com os meus olhos

Fiz um acordo com os meus olhos
Irei te esperar fielmente com os olhos, o corpo e a mente.
Aprendi a orar por você e o faço sempre.
Não sei onde você estar agora, mas sei que Deus tem guardado a sua vida como guarda a minha todos os dias.
Sabe, às vezes penso e acho loucura escrever pra alguém que não conheço, mas vai entender o propósito de Deus quando Ele coloca essa sede e doces palavras dentro de mim.

Fiz um acordo com os meus olhos
Nenhum homem será mais lindo que você
Pois sei que você será uma amostra de quanto o Senhor me ama, cuida de mim, me faz crescer desde pequenas circunstâncias até aperfeiçoar meu caráter.
Você será lindo pra mim!

Fiz um acordo com os meus olhos
Não vou me deixar seduzir pelas aparências e pelos desejos da carne.
Essa fase de espera é a aprovação de Deus para um propósito, para um relacionamento para sua glória, não para suprir necessidade, mas para viver o plano original do Senhor.

Fiz um acordo com os meus olhos
Quando decidir acreditar em um romance, quando disse não para os exemplos distorcidos que tenho na minha vida hoje, acreditar é realmente um desafio.
Sei que comigo e com você será diferente, será com Deus na frente!
 Já pensou a gente lendo a Bíblia juntos?
E no propósito de uma só oração.
Caminhando para a redenção, renúncia, restauração, restituição, salvação!
Lendo livros, escrevendo o amor, trabalhando juntos com objetivo e determinação.
 Ah, tantos sonhos, tantas vontades, tantos projetos e de Deus a obra escrita de verdade.

Fiz um acordo com os meus olhos
Com os meus conceitos, com o meu coração, eu escolhi te esperar para viver de Deus a perfeição de dois seres imperfeitos unidos pelo verdadeiro Amor. 

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Edições que Edificam: Fotos com Frases

Hoje eu vou trazer para vocês as edições da Susi Lima (PDMC) com frases de minha autoria \o/

Espero que gostem e compartilhem nosso trabalho!

Meu Romance






Minha primeira frase.




Curtiu?!
Deus te abençoe e fica na paz!