Postagens populares

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Missões começam em casa

“Seu principal Ministério começa em casa.” – Paul Washer 


No domingo anterior (12/11) foi culto de Missões, e durante todo o ano foi falado a respeito de muitos países, de muitas crises, de muitos perigos e na maioria das vezes nós pensamos que missionários são somente aqueles que largam tudo e vão embora para outra cidade, estado e até país para pregar o evangelho e na verdade não é. Missões é simplesmente o ato de levar a mensagem do evangelho a alguém e cada um de nós quando somos verdadeiramente salvos em Cristo temos essa comissão. Spurgeon disse: "Todo cristão ou é um missionário ou é um impostor", isso significa que automaticamente quando você torna-se discípulo de Cristo, tem a missão de levar a outros sua mensagem e a sua casa é o seu primeiro campo de evangelização. 

É muito fácil ser cristão dentro de uma congregação onde "todos" estão no mesmo proposito, mas e em casa onde somos apontados, perseguidos, maltratados, caçoados por nossa fé? O nosso maior desafio é ser verdadeiramente cristão dentro de casa, é ai onde será revelado se somos verdadeiramente convertidos. E não somente levar o nosso testemunho através de ações, mas orar por nossos familiares e aproveitar as oportunidades para falar da Palavra do Senhor, sempre com paciência, cautela e amor. O nosso proposito não é afastar os impios, mas sim perseverar para que sejam alcançados, assim como um dia o Senhor nos alcançou. 

É um trabalho árduo, muitas vezes podem levar anos, mas não desista. Cristo não te colocou no lugar onde você está atoa, Ele tem um proposito maior, Ele quer te usar. Uma família Cristã estruturada faz diferença em uma sociedade completamente corrompida. 

E hoje trago para vocês, dois textos de dois autores para que você possa refletir e despertar para esta obra missionaria em sua vida! Você é um missionário dentro da sua casa!

"No Evangelho segundo São Marcos 6, lemos: “Então, chamou os doze e começou a enviá-los dois a dois”. Assim começa a missão dos apóstolos, e assim ela começa em nós. Temos como missão salvar aqueles que amamos.
Devemos nos colocar em missão dentro de nossa casa, devemos estar curados para que todos os testemunhos que dermos não sejam da boca para fora. Há pessoas que são santas na Igreja, mas, dentro de casa, são como demônios. Isso é triste!
Devemos nos converter verdadeiramente, não podemos ser meio-cristãos e meio-pagãos. A Palavra de Deus diz que devemos ser frios ou quentes, pois se formos mornos o Senhor nos vomitará. Muitas vezes, o melhor lugar para vivermos a primeira conversão é dentro da Igreja, mas a conversão real acontece dentro de nossa casa.
Muitas vezes, queremos impor condições para servir a Deus, mas não podemos agir assim. Quando O amamos, fazemos por gratidão.
Cada um deve usar seu dom para que a vontade do Senhor aconteça. Ele nos chama a sermos desprendidos de todas as coisas para salvarmos almas para Ele.
Se você é um evangelizador e tentou evangelizar alguém, mas essa pessoa não aceitou seu anúncio, fique tranquilo, pois você abriu a sua boca para evangelizar.
O Senhor não quer pessoas perfeitas, mas abertas às obras d’Ele e que busquem a perfeição. Para vivermos bem nossa conversão dentro de casa, precisamos abandonar os vícios do passado. Quem era beberrão, pare de beber.
Cuidado com o vício das redes sociais, principalmente os casais em que um coloca senhas e o outro não sabe. Isso é individualismo! Por que essas senhas o esposo ou a esposa não pode ver? Os pais devem ter toda a liberdade de ter acesso à vida dos filhos, pois foram eles quem lhes deram a vida.
A primeira missão dos cristãos é ser família dentro de casa. Existem pais que passam a vida inteira sem conhecer os filhos; isso acontece, porque eles estão vivendo a própria vida sem incluir os pequenos. Alguns abandonam a vida de oração. Em nossa casa, precisamos colocar a oração em prática, para que sejamos cheios da bênção e da graça de Deus.
Nossa vida com Deus não pode ser um desencargo de consciência, mas um meio de alcançar a santidade." 
(Autor desconhecido)

O homem é o principal responsável pela segurança (e pelo fracasso) da família. Em Marcos 14:27, Jesus diz: “Todos vós vos escandalizareis, porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas ficarão dispersas.” Você já parou para pensar nesse texto? Se você quer acabar com uma igreja, fira o pastor. Nesse texto, Jesus Se referia a Ele mesmo – quando Ele fosse morto, os discípulos iriam se dispersar. Quem é o pastor da família, o cabeça? Se o marido for corrompido, toda a família o será. Se o pai estiver enfermo, se ele estiver mal, sem exercer liderança, toda a família sofrerá. É por isso que Satanás está pegando pesado com o movimento feminista, está tirando a liderança e a voz ativa do homem – porque isso é um princípio espiritual.
A égide da família está nas mãos do homem. Então, não adianta ser pastor, teólogo, evangelista ou qualquer outra coisa, se eu, primeiramente, não cumpro a minha vocação de marido e de pai.
Isso é um ministério, um chamado! É muito fácil ter filhos e deixá-los jogados. É preciso disciplinar, ensinar asseio, bons modos, o português… A vontade da criança é rebelde, e cabe a nós pais quebrá-la, subjugá-la. Isso é o dia todo! Além de tudo, temos também de ensinar o que é relativo à nossa fé.
Como um homem cuida de sua família? Você sabia que a escola dominical, os departamentos de jovens e de mulheres, bem como os outros departamentos e programações da igreja, não têm obrigação nenhuma de ensinar, educar e discipular os seus filhos e sua esposa? Isso porque essa obrigação não está prevista na Bíblia! Todas essas instâncias são boas e saudáveis, sim, mas sobre elas não recai essa obrigação de instrução. Tal obrigação recai sobre o líder da casa, sobre o marido, o pai!
Essa obrigação é cumprida quando, em primeiro lugar, o marido discipula a sua esposa e os seus filhos. À parte do culto, não é dever do pastor de sua igreja ensinar doutrina à tua esposa. Também não é obrigação dos oficiais da igreja ensinar doutrina, educação e bons modos a teus filhos. Essa é uma obrigação tua, marido e pai. É assim que se tem uma família saudável: tratando a principal peça, o marido, o cabeça, que é responsável pela saúde do lar. Quando a família está saudável, o ministério será saudável, a igreja será saudável e bíblica, e a nação será transformada pelas famílias cristãs.
- Pr. Paulo Júnior 

Que Deus continue te abençoando em Cristo Jesus!

Com fé, 
Shirley Costa

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Meu passado me condena?


Quando conheci a Cristo várias questões vieram a minha mente, principalmente sobre o meu passado. Lembro-me de passar noites e noites chorando em oração por coisas que ainda perduraram em minha mente, eu questionava “Senhor, se tu me perdoastes, por quê então não me perdoei?”, tudo isso perdurou anos, até que em 2016 ganhei um livro que mudou a minha vida.

Diante de toda essa situação eu tentava mostrar as pessoas a “cristã perfeita” que eu era, da fé, que era forte, firme e não se abatia por nada. Pura falsidade. Por dentro eu estava me destruindo em coisas passadas, por fora cheirava santidade. Comecei a ler o livro, me deparei logo de início com a seguinte frase “O Mestre não nos quer perfeitos, apenas verdadeiros” fui desmontada por inteiro ao ler isso, minha vida cristã era construída na areia, eu não era verdadeira, e ali mesmo desmoronou.

Você já sentiu vontade de se esconder ao descobrir quem realmente é?

A nossa natureza adâmica nos leva ao esconderijo, a não enfrentar o que de fato somos, mas quando nascemos de novo, tudo se transforma e a natureza de Cristo habita em nós.

“Vejam como é grande o amor que o Pai nos concedeu: sermos chamados filhos de Deus, o que de fato somos.”- 1 João 3:1

Somos filhos de Deus quando seguimos sua Natureza, vivendo de acordo a Sua Vontade, não mais pela natureza de Adão, mas como filhos de Cristo.

E sobre o passado?
Eu,
Você,
Nós
Fomos lavados pelo sangue de Jesus na Cruz, sim, nosso passado cheio de pecados foi perdoado, sofreremos as consequências dele, mas a nova vida em Cristo Jesus nos leva além, de modo a não mais querer viver os hábitos da velha criatura. Ele veio para termos vida, a verdadeira, em abundância (João 10:10).

Então, perdoe-se, como uma frase do Brennan Manning, “Fé é a coragem de aceitar ser aceito”, seu passado ficou pra trás, não importa mais, você é livre, descubra o novo com Àquele que deu sua vida por nós, Ele quer fazer de você o seguidor que jamais pensou ser. Se divorcie de tudo aquilo que te condena através do pecado, hoje!

Sobre o livro que ganhei foi “O Obstinado amor de Deus”, do Brennan Manning, leiam, descubram como é bom ser filho.

Graça e paz! ❤️
Lavínia Da Hora

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Perdoar para ser perdoado

"Então Pedro, aproximando- se dele, disse: Senhor até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete? Jesus lhe disse: Não te digo que até sete, mas, até setenta vezes sete".
- Mateus 18:21-22


Eu devo perdoar o meu ofensor todas as vezes que este me ferir o coração, pois olho para Deus e vejo o quanto de perdão foi derramado em minha vida.
Este é o exemplo que tenho de Deus: Liberar perdão!

Pois se peco contra o meu próximo, muito mais peco contra Deus, e hoje sei que as ofensas que me causam não são maiores do que os meus pecados contra Deus. Contudo o Senhor é bom e perdoa meu coração arrependido.

Quando entendemos o quanto somos perdoados é quando de fato conhecemos o perdão, porque não é para a circunstância que olhamos ou para o dano que nos foi causado, é  para Deus que olhamos. E isso me faz refletir por alguns minutos em todo o amor de Deus, entregando o Seu filho, para me dar perdão.

Isso me faz enxergar que Deus não deu nenhuma desculpa para não me perdoar, e então vejo que nós damos tantas e tantas desculpas. A verdade é que talvez não tenhamos amor suficiente no peito para sermos capazes de perdoar. O interessante é que, quando cometemos pecados corremos para Deus e queremos ser perdoados, mas quando o nosso ofensor vem arrependido buscar perdão, nós simplesmente viramos as costas. E não foi isso que Deus fez. Não importa qual tenha sido o seu pecado, você quer o perdão de Deus, por isso, você não tem o direito de não perdoar o seu ofensor, não importa o que este tenha lhe feito.

O ser humano será sempre falho e inevitavelmente iremos sempre ferir uns aos outros, resultado este de nossas fraquezas. Por isso o perdão é libertador e livra nossas almas de mágoas que destroem a vida e nos afasta de Deus.

Vamos depender de Deus e seguir seus conselhos, vamos fixar os olhos para o alto, e oferecer perdão setenta vezes sete àquele que o mal nos fizer. É difícil perdoar, mas o que eu sei e desejo que você saiba também é que essa é a vontade de Deus e precisamos obedecê-lo, caso queiramos ser de fato cristãos.

Certo dia C.S.Lewis escreveu: "Ser Cristão significa perdoar o indesculpável, porque Deus perdoou o indesculpável em nós".

Olhe para Deus, olhe em seguida para o seu ofensor e ofereça o que Deus sempre lhe deu.
Libere perdão.

"Que hoje, a sua oração seja: “Senhor, perdoa os meu pecados e limpe o meu coração de todo ódio”. É importante você perdoar o seu próximo. Na palavra, está escrito que aquele que não perdoa também não encontrará perdão diante de Deus.

Perdoar é o mesmo que confiar na justiça do Senhor! É ser livre de todo o tipo de mágoa. Isso não quer dizer que você precisa confiar na pessoa novamente, ou ser conivente com suas deformações, mas significa que você entendeu que todos nós somos passíveis de erros.

Nó precisamos e dependemos do perdão de Deus e de suas misericórdias, mas para isso, precisamos perdoar, essa é a condição. O primeiro passo é o seu!"

--
Patrícia Gomes 

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Satisfeito em ti


"Que meus suspiros deem lugar a canções sobre sua fidelidade
Que minha dor revele Sua glória como meu único e verdadeiro descanso
Que minhas perdas me mostre que tudo que realmente tenho é você
Porque tudo que realmente tenho é Você."


segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Como podemos cultivar o discernimento?

Nós não podemos simplesmente seguir a corrente da nossa era. Não podemos elevar o amor enquanto minimizamos a verdade. Não podemos promover a unidade reprimindo a sã doutrina.  Nós não podemos aprender a sermos mais exigentes criando um ídolo que está além da tolerância. Ao adotar essas atitudes, a igreja tem aberto os portões para os cavalos de Tróia de Satanás.

Deus nos dá a verdade de Sua Palavra, e ele nos ordena a guarda-la e passa-la para a próxima geração. Francamente, a geração atual está falhando miseravelmente nessa tarefa. Nossa falha com relação ao discernimento tem praticamente apagado a linha que existe entre Cristianismo bíblico e a fé imprudente. A igreja está repleta de um caos doutrinário, confusão, e anarquia espiritual. Poucos parecem perceber porque os cristãos foram condicionados por anos a serem ensinados de maneira superficial a terem uma mente ampla, superficial e não crítica. A menos que exista uma mudança radical na forma como vemos a verdade, a igreja vai continuar a declinar em poder de influencia, se tornará mais mundana e irá à direção de vários tipos de erros.

Como podemos cultivar o discernimento?

O que precisa acontecer para uma igreja que quer reverter suas tendências e recuperar a perspectiva bíblica?

Deseje Sabedoria

O primeiro passo é desejar. Provérbios 2:3-6 diz, ”se clamares por discernimento, e por entendimento alçares a tua voz; se o buscares como a prata e o procurares como a tesouros escondidos;  então entenderás o temor do Senhor, e acharás o conhecimento de Deus. Porque o Senhor dá a sabedoria; da sua boca procedem o conhecimento e o entendimento”
Se nós não temos nenhum desejo de termos discernimento, nós não o teremos. Se somos levados por um anseio de sermos felizes, bem sucedidos, abundantes, prósperos, confortáveis e auto-satisfeitos , nós nunca seremos pessoas com discernimento. Se nossos sentimentos determinam o que nós cremos, nós não podemos ter discernimento. Se nós subjulgamos nossas mentes a algumas autoridades eclesiásticas terrenas e acreditamos cegamente no que ouvimos delas, nós minamos o discernimento. A menos que nós examinemos todas as coisas cuidadosamente, nós não podemos esperar ter alguma defesa contra uma fé imprudente.

O Desejo por discernimento é nascido da humildade. É a humildade que reconhece o nosso próprio potencial para o autoengano. (“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o poderá conhecer? ” Jeremias  17:10) É a humildade que desconfia de seus sentimentos pessoais e lança desprezo na autossuficiência ( “ mas de mim mesmo não me gloriarei, senão nas minhas fraquezas.” 2 Coríntios 12:5) É a humildade que se volta para a Palavra de Deus como árbitro final de todas as coisas (“ examinando diariamente as Escrituras para ver se estas coisas eram assim” Atos 17:11).

Ninguém tem o monopólio da verdade. Eu certamente não tenho. Eu não tenho respostas confiáveis por mim mesmo. Meu coração é tão susceptível ao autoengano como o de qualquer um. Meus sentimentos são tão não confiáveis quanto os de qualquer um. Eu não estou imune ao engano de Satanás. Essa é uma verdade para todos nós. Nossa única defesa contra a falsa doutrina é o discernimento, a desconfiança de nossas próprias emoções, o considerar nosso próprio senso como suspeito, examinar todas as coisas, testar toda verdade proclamada com o critério da Escritura, e lidar com a Palavra de Deus com muito cuidado.

O desejo pelo discernimento portanto, implica uma visão elevada da Escritura conectada a um entusiasmo pelo entendimento dela corretamente. Deus requer essa atitude (2 Timóteo 2:15)  – e então o coração que O amar verdadeiramente será naturalmente incendiado por uma paixão pelo discernimento.

Ore por Discernimento

O passo dois é oração. A oração é claro, segue naturalmente o desejo; a oração é a expressão de um coração que deseja a Deus.
Quando Salomão se tornou rei, após a morte de Davi, o Senhor apareceu a ele em sonho e disse:  “Pede-me o que queres que eu te dê.” (I Reis 3:5). Salomão poderia ter pedido qualquer coisa. Ele poderia ter pedido riquezas materiais, poder, vitória sobre os inimigos, ou qualquer coisa que quisesse. Mas Salomão pediu por discernimento: “Da, pois ao teu servo coração compreensivo para julgar o teu povo, para que prudentemente discirna entre o bem o mal; pois quem poderia julgar a este grande povo?” (1 Reis 3:9).  A Escritura diz, “Essas palavras agradaram ao Senhor, por haver Salomão pedido tal coisa” (1 Reis 3:10).
Além disso, disse o Senhor a Salomão:

Pelo que Deus lhe disse: Porquanto pediste isso, e não pediste para ti muitos dias, nem riquezas, nem a vida de teus inimigos, mas pediste entendimento para discernires o que é justo, 12 eis que faço segundo as tuas palavras. Eis que te dou um coração tão sábio e entendido, que antes de ti teu igual não houve, e depois de ti teu igual não se levantará. 13 Também te dou o que não pediste, assim riquezas como glória; de modo que não haverá teu igual entre os reis, por todos os teus dias. 14 E ainda, se andares nos meus caminhos, guardando os meus estatutos e os meus mandamentos, como andou Davi,

Perceba que Deus  elogiou a Salomão porque seu pedido foi completamente não-egoísta: “Porquanto pediste isso, e não pediste para ti muitos dias, nem riquezas, nem a vida de teus inimigos, mas pediste entendimento para discernires o que é justo”  O egoísmo é incompatível com o discernimento. Pessoas que desejam o discernimento precisam estar dispostos a dar um passo para fora de si mesmo.

O evangelicalismo moderno, enamorado pela psicologia e autoestima, tem produzido uma geração de cristãos que estão tão absorvidos em si mesmos que não podem discernir. As pessoas nem estão interessadas em discernimento. Todo o interesse deles em coisas espirituais estão focadas em si mesmo.  Eles estão interessados somente em obter suas próprias necessidades atendidas.
Salomão não fez isso. Apesar de ele ter tido uma oportunidade para pedir por uma vida longa, prosperidade, e saúde e riquezas, ele abriu mão de todas essas coisas pediu ao invés disso por discernimento.  Por esse motivo Deus deu a ele também riquezas, honra, e vida longa enquanto ele andasse nos caminhos do Senhor.
Tiago 1:5 promete que Deus irá conceder a oração por discernimento de maneira generosa: “Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos da liberadamente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida”

Desejo e oração são os dois primeiros ingredientes chave na receita para um discernimento bíblico.

Texto retirado do site: Mulheres Piedosas, escrito por John MacArthur.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Tua Graça me salvou


Faz-me mais grata a Ti, Deus meu!
Pois escolheu-me.
E abençoou a minha concepção.

Antes mesmo de me formares no ventre materno
Tudo já sabias sobre mim,
O meu nome 
e todos os anos de vida, 
que me foi dado por Ti.

Um ser pecador,
odiadora do meu próprio criador.
Concebida por meus pais e nascida em pecado.
Contudo, de mim não se esquecestes.

E  por  misericórdia sua guarda não foi tirada,
O seu cuidado repousava sobre mim
mesmo desgarrada por tanto tempo
Lá comigo, estavas.

Fez eternizar em minha alma 
o dia em que naquela congregação fui atraída por Ti, 
Com irresistível amor, luz e graça 
pelo poder da palavra.
Eu já era uma moça, 20 anos eu tinha, 
mas do pecado, era uma escrava cansada.

 Nunca poderei esquecer do Seu abraço
No instante em que me fez ver o que sou
Mas o tamanho da minha maldade 
não era maior que amor que o Seu colo me ofertou
Como chorei, Deus! Sabes o quanto chorei.  

Foi o dia mais terrível por conhecer a mim mesma,
Nunca poderei esquecer
Conheci o meu abismo,
os meus olhos abristes
E me mostrou o quão depravada que sou.
Porém, a felicidade inundou aquele dia, pois recebi um Salvador.

E pela fé, Ele tornou-me então sua filha.
Quero ser grata a este Deus 
que viu minhas trevas, 
e de me amar não hesitou.
Ele encheu-me de luz
 imerecedora deste amor, sei que sou.
  
Outrora todo o meu corpo era mal,
e agora, abristes os meus olhos e o meu corpo tornou-se luz..
Mais grata a Ti, Amado meu! Faz-me mais grata a Ti.
Pois pela sua redenção e por causa do seu perdão, 
nenhuma condenação há mais sobre mim.

 - Patrícia Gomes